Epidemiología de las lesiones en jóvenes futbolistas de las categorías sub-17 y 20 de un club de fútbol profesional en Río de Janeiro (Epidemiology of injuries in young soccer athletes in the U-17 and 20 categories of a professional soccer club in Rio de

Autores/as

  • Vicente Pinheiro Lima Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Instituto de Educação Física e Desportos, Laboratório do Exercício e do Esporte, Programa de Pós-graduação em Ciências do Exercício e do Esporte, Rio de Janeiro, RJ, Brasil http://orcid.org/0000-0002-7534-265X
  • Rodrigo Gomes de Souza Vale Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Instituto de Educação Física e Desportos, Laboratório do Exercício e do Esporte, Programa de Pós-graduação em Ciências do Exercício e do Esporte, Rio de Janeiro, RJ, Brasil http://orcid.org/0000-0002-3049-8773
  • Bruno Lucas Pinheiro Lima Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Instituto de Educação Física e Desportos, Laboratório do Exercício e do Esporte, Programa de Pós-graduação em Ciências do Exercício e do Esporte, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
  • Gilson Ramos de Oliveira Filho Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Brasil) http://orcid.org/0000-0002-3914-5296
  • Juliana Brandão Pinto de Castro Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Instituto de Educação Física e Desportos (IEFD), Laboratório do Exercício e do Esporte (LABEES), Programa de Pós-graduação em Ciências do Exercício e do Esporte (PPGCEE), Rio de Janeiro, RJ, Brasil http://orcid.org/0000-0002-5656-0782
  • Jefferson da Silva Novaes Universidade Federal do Rio de Janeiro (Brasil)
  • Rodolfo de Alkmim Moreira Nunes Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Instituto de Educação Física e Desportos, Laboratório do Exercício e do Esporte, Programa de Pós-graduação em Ciências do Exercício e do Esporte, Rio de Janeiro, RJ, Brasil http://orcid.org/0000-0001-9707-2649

DOI:

https://doi.org/10.47197/retos.v0i39.79667

Palabras clave:

(Soccer, Injuries, Young athletes, Epidemiology, Sports), fútbol, ​​lesiones, atletas jóvenes, epidemiología, deportes

Resumen

Resumen. El objetivo del estudio fue estimar los aspectos epidemiológicos de las lesiones en atletas jóvenes en las categorías de fútbol sub-17 y 20. Estudio epidemiológico con acceso a la base de datos de un club de fútbol, ​​categorías sub-17 y sub-20, sobre lesiones en 2016, datos: posición del atleta, tipos de lesiones, sitios de lesiones, número de lesiones, día libre , meses libres, día de regreso, meses de regreso, lado y clasificación de las lesiones, datos recopilados por el equipo científico, utilizando la hoja de registro de lesiones de la FIFA. Los datos se analizaron en el lenguaje de programación Python 2.7, en la interfaz gráfica Spyder 3.3.1, utilizando el programa de gráficos Anaconda. Hubo una mayor incidencia para el grado moderado y una mayor incidencia de lesiones el miércoles y viernes para el día de la liberación. La mayor incidencia de lesiones fue en mayo y octubre y en marzo y octubre. La lesión principal fue un esguince de tobillo seguido de mialgia aductora. La lesión en el muslo se destaca para defensores y atacantes. La mayoría de las lesiones para todas las posiciones fueron unilaterales. El lado derecho del cuerpo tenía más lesiones en el pie y luego en el muslo, exactamente lo contrario en el lado izquierdo, donde la mayor cantidad de lesiones fue en el antebrazo y luego en el pie. Con los resultados del presente estudio, se puede concluir que los atletas jóvenes en las categorías menores de 17 años y menores de 20 años tienden a tener lesiones moderadas, con una mayor incidencia en el tobillo y mialgia en el muslo.

Biografía del autor/a

Vicente Pinheiro Lima , Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Instituto de Educação Física e Desportos, Laboratório do Exercício e do Esporte, Programa de Pós-graduação em Ciências do Exercício e do Esporte, Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Doutorado em Educação Física, área de concentração: Aspectos Biopsicossociais do Esporte, UERJ; Líder do Grupo de Pesquisa em Biodinâmica do exercício, saúde e performance UCB; Mestrado em Educação: Gestão de Ensino Superior, UNESA-RJ; Pós-Graduado em Biomecânica UNESA-RJ; Pós-Graduado em Basquete UGF-RJ; Licenciatura Plena em Educação Física, UERJ; Docente Tempo Integral em pesquisa dos cursos de Educação Física da Universidade Castelo Branco-RJ; Proprietário da Balance Editora e Assessoria; Criador do Método: Back Heaulthy Training.

Rodrigo Gomes de Souza Vale , Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Instituto de Educação Física e Desportos, Laboratório do Exercício e do Esporte, Programa de Pós-graduação em Ciências do Exercício e do Esporte, Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Graduação em Educação Física (UFRJ), mestrado em Ciência da Motricidade Humana (UCB/RJ), doutorado em Ciências da Saúde (UFRN) e pós-doutorado em Biociências (UNIRIO). É professor adjunto do Instituto de Educação Física e Desportos (IEFD) e do Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Ciências do Exercício e do Esporte (PPGCEE) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). É coordenador do Laboratório do Exercício e do Esporte (LABEES-UERJ). É professor titular, coordenador do Laboratório de Fisiologia do Exercício (LAFIEX) e do curso de Educação Física da Universidade Estácio de Sá (UNESA-Cabo Frio/RJ). Tem experiência na área de Educação Física e Saúde, com ênfase em Condicionamento Físico, Treinamento, Biomecânica e Fisiologia do Exercício, Atividade Física, Saúde e Qualidade de Vida. É pesquisador de temas sobre: avaliação, equilíbrio, quedas e postura, eletromiografia, termografia, treinamento de força, aeróbico e flexibilidade, hormônios, qualidade de vida, autonomia e envelhecimento.

Bruno Lucas Pinheiro Lima , Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Instituto de Educação Física e Desportos, Laboratório do Exercício e do Esporte, Programa de Pós-graduação em Ciências do Exercício e do Esporte, Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Mestrado em Ciência do exercício e do esporte, UERJ, Pós-graduando em Treinamento Desportivo, UFRJ; Bacharelado em Educação Física, UCB/RJ; Licenciatura Plena em Educação Física, UCB/RJ; Trabalha com treinamento personalizado; Fez Curso de Inglês nos EUA, curso de Inglês concluido na Cultura Inglesa/RJ; ex-atleta de basquete.

Gilson Ramos de Oliveira Filho , Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Brasil)

Possui DOUTORADO em CIÊNCIA DO ESPORTE pela UNIVERSIDADE DE TRÁS OS MONTES E ALTO DOURO-PORTUGAL(2015) validado pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. MESTRADO em Ciência da Motricidade Humana pela Universidade Castelo Branco (2005).Especialização em CIÊNCIA DA PERFORMANCE HUMANA pela UCB(1990) graduação em EDUCAÇÃO FÍSICA pela Universidade Castelo Branco (1989), graduação em FISIOTERAPIA pela Universidade Castelo Branco (1994), Atualmente é professor adjunto da Universidade Augusto Motta (UNISUAM),professor da Faculdade Mercúrio e professor Adjunto da UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Tem experiência na área de Educação Física,Fisioterapia e Terapia Ocupacional, com ênfase em Educação Física,Fisioterapia e Terapia Ocupacional, atuando principalmente nos seguintes temas:FUTEBOL,BIOMECÂNICA, Anatomia,FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO, Educação, Reabilitação(Transição), Cinesioterapia,,Treinamento Esportivo,Primeiros Socorros e Morfofisiologia. E também oficial de Controle de Dopagem.

Juliana Brandão Pinto de Castro , Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Instituto de Educação Física e Desportos (IEFD), Laboratório do Exercício e do Esporte (LABEES), Programa de Pós-graduação em Ciências do Exercício e do Esporte (PPGCEE), Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Licenciatura Plena em Educação Física pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Doutorado em Ciências do Exercício e do Esporte (PPGCEE/UERJ). Mestre em Alimentação, Nutrição e Saúde (Instituto de Nutrição/UERJ). Professora do Departamento de Ciências da Atividade Física (DCAF), do Instituto de Educação Física e Desportos (IEFD/UERJ).

Jefferson da Silva Novaes , Universidade Federal do Rio de Janeiro (Brasil)

Possui graduação em Licenciatura em Educação Física e Desportos pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1978), Mestrado em Educação Física pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1990), Doutorado em Educação Física pela Universidade Gama Filho (1998) e Pós-Doutoramento na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (2008). Atualmente, é parecerista de diversas revistas nacionais e internacionais, Professor Titular da Universidade Federal do Rio de Janeiro e Professor Titular Visitante da Universidade Federal de Juiz de Fora. Tem experiência na área de Educação Física, com ênfase em efeitos fisiomorfológicos das atividades físicas, atuando principalmente nos seguintes temas: treinamento de força, flexibilidade, imagem corporal, ginástica de academia e hidroginástica.

Rodolfo de Alkmim Moreira Nunes , Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Instituto de Educação Física e Desportos, Laboratório do Exercício e do Esporte, Programa de Pós-graduação em Ciências do Exercício e do Esporte, Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Doutor pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Mestre pela Universidade Castelo Branco (UCB/RJ). Especializado em Medicina do Esporte e Metodologia Científica em Laboratório de Pesquisa pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Graduado em Medicina pela Universidade Gama Filho (UGF) e em Educação Física pela Universidade Estácio de Sá (UNESA). Professor Associado do Instituto de Educação Física e Desportos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e do Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Ciências do Exercício e do Esporte da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (PPGCEE-UERJ). Coordenador do Laboratório do Exercício e do Esporte (LABEES-UERJ). Bolsista do Laboratório Olímpico do Comitê Olímpico Brasileiro (COB). Oficial de Controle de Dopagem da Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD) e Membro da Comissão Nacional de Controle de Dopagem da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) desde 1989. Professor Pesquisador da UTAD/Portugal orientando teses de Mestrado e Doutorado. Tem experiência na área de Educação Física e Medicina Desportiva, com ênfase em Fisiologia Humana, Fisiologia do Exercício e Desporto, Avaliação da Performance Humana, Socorros e Urgências (APH). Atuando principalmente nos seguintes temas: prevenção de lesões e melhoria do rendimento atlético, detecção de talentos no esporte, futebol, doping, promoção de saúde, exercício supervisionado para grupos especiais, reabilitação cardiopulmonar e metabólica, cineantropometria e morte súbita.

Citas

Andreu, J. M. P. (2015). Variables deportivas y personales en la ocurrencia de lesiones deportivas. Diferencias entre deportes individuales y colectivos. Retos, 28, 21-25.

Axibal, D. P., Mitchell, J. J., Mayo, M. H., Chahla, J., Dean, C. S., Palmer, C. E., Campbell, K., Vidal, A. F., & Rhodes, J. T. (2019). Epidemiology of anterior tibial spine fractures in young patients: a retrospective cohort study of 122 cases. Journal of Pediatric Orthopaedics, 39(2), e87-e90. https://doi.org/10.1097/BPO.0000000000001080

Bittencourt, N. F. N., Amaral, G. M., Anjos, M. T. S., D’Alessandro, R., Silva, A. A., & Fonseca, S. T. (2005). Avaliação muscular isocinética da articulação do joelho em atletas das seleções brasileiras infanto e juvenil de voleibol masculino. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, 11(6), 331-336. https://doi.org/10.1590/S1517-86922005000600005

Chagas, T. P., Castro, H. O., Carvalho, L. A., Noronha, F. J., Aguiar, S. S. Pires, F. O., & Gazire, J. S. (2018). Incidência de lesões em atletas profissionais de futebol de categorias de base: estudo de caso. Journal of Health Connections, 2(1), 60-68.

Comitê Olímpico Internacional. (2010). Epidemiology of injury in Olympic Sports. Organizadores: Caine, D. J., Harmer, P. A., & Shiff, M. A. International Olympic Committee Published by Blackwell Publishing Ltda.

Crivellaro, J., Almeida, R. M. V. R., Wenke, R., & Neves, E. B. (2017). Perfil de lesões em pilotos de parapente no Brasil e seus fatores de risco. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, 23(4), 270-273. https://doi.org/10.1590/1517-869220172304172430

Federação Internacional de Futebol. III Congresso de medicina da FIFA 2015 (FIFA). http://es.fifa.com/development/news/y=2015/m=5/news=el-iii-congreso-de-medicina-de-la-fifa-se-centra-en-la-prevenci2609632.html

Fuller, C. W., Ekstrand, J., Junge, A., Andersen, T. E., Bahr, R., Dvorak, J., Hägglund, M., McCrory, P., & Meeuwisse, W. H. (2006). Consensus statement on injury definitions and data collection procedures in studies of football (soccer) injuries. British Journal of Sports Medicine, 40(3), 193-201. https://doi.org/10.1136/bjsm.2005.025270

Herdy, C., Vale, R., Silva, J., Simão, R., Novaes, J., Lima, V., Gonçalves, D., Godoy, E., Selfe, J., & Alkmim, R. (2017). Occurrence and type of sports injuries in elite young Brazilian soccer players. Archivos de Medicina del Deporte, 34(3), 140-144.

Jorge, L. C. P. (2015). Análise da incidência de lesões em jovens futebolistas em fase de especialização. Dissertação de mestrado. Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra.

Leppänen, M., Pasanen, K., Clarsen, B., Kannus, P., Bahr, R., Parkkari, J., Haapasalo, & Vasankari, T. (2019). Overuse injuries are prevalent in children’s competitive football: a prospective study using the OSTRC Overuse Injury Questionnaire. British Journal of Sports Medicine, 53(3), 165-171. http://dx.doi.org/10.1136/bjsports-2018-099218

Liotto, G. J. (2008). Avaliação funcional de eversores e inversores de tornozelo em atletas de uma equipe de futsal. Dissertação de Mestrado. Escola de Educação Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Marrugo, E. B., & Julio, E. M. (2019). Accidente de trabajo en el futbol contexto colombiano. Retos, 38, 790-794.

Mendonça, L. M., Bittencourt, N. F. N., Anjos, M. T. S., Silva, A. A., & Fonseca, S. T. (2010). Avaliação muscular isocinética da articulação do ombro em atletas da Seleção Brasileira de voleibol sub-19 e sub-21 masculino. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, 16(2), 107-111. https://doi.org/10.1590/S1517-86922010000200006

Nascimento, N. A., & Silva, B. G. M. (2017). Análise do perfil epidemiológico de lesões esportivas em atletas de futebol profissional. Revista Brasileira de Futsal e Futebol, 9(34), 282-289.

Ribeiro, R. N., Vilaça, F., Oliveira, H. U., Vieira, L. S., & Silva, A. A. (2007). Prevalência de lesões no futebol em atletas jovens: estudo comparativo entre diferentes categorias. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, 21(3), 189-194.

Rios, E. T., Rodrigues, F. C., Rocha, L. F., Salemi, V. M. C., & Miranda, D. P. (2017). Influência do volume semanal e do treinamento resistido sobre a incidência de lesão em corredores de rua. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, 11(64), 104-109.

Santos, H. H., Hanashiro, D. N., Ávila, M. A., Camargo, P. R., Oliveira, A. B., & Salvini, T. F. (2014). Efeito do treino isocinético excêntrico sobre a razão I/Q do torque e EMGs em sujeitos saudáveis. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, 20(3), 227-232. https://doi.org/10.1590/1517-86922014200301210

Schiaffino, A., Rodriguez, M., Pasarin, M. I., Regidor, E., Borrell, C., & Fernandez, E. (2003). Odds ratio or prevalence ratio? Their use in cross-sectional studies. Gaceta Sanitaria, 17(2), 70-74.

Shalaj, I., Tishukaj, F., Bachl, N., Tschan, H., Wessner, B., & Csapo, R. (2016). Injuries in professional male football players in Kosovo: a descriptive epidemiological study. BMC Musculoskeletal Disorders, 17, 338. https://doi.org/10.1186/s12891-016-1202-9

Soligard, T., Myklebust, G., Steffen, K., Holme, I., Silvers, H., Bizzini, M., Junge, A., Dvorak, J., Bahr, R., & Andersen, T. E. (2008). Comprehensive warm-up programme to prevent injuries in young female footballers: cluster randomised controlled trial. BMJ, 337, a2469. https://doi.org/10.1136/bmj.a2469

Thomas, J. R., Nelson, J. K., Silverman, S. J. (2012). Métodos de pesquisa em atividade física. 5. ed. Porto Alegre: Artmed.

Werner, J., Hägglund, M., Ekstrand, J., & Waldén, M. (2019). Hip and groin time-loss injuries decreased slightly but injury burden remained constant in men’s professional football: the 15-year prospective UEFA Elite Club Injury Study. Br J Sports Med, 53(9), 539-546. http://dx.doi.org/10.1136/bjsports-2017-097796

Descargas

Publicado

2021-01-01

Cómo citar

Lima, V. P., Vale, R. G. de S., Lima, B. L. P., Oliveira Filho, G. R. de, Castro, J. B. P. de, Novaes, J. da S., & Nunes, R. de A. M. (2021). Epidemiología de las lesiones en jóvenes futbolistas de las categorías sub-17 y 20 de un club de fútbol profesional en Río de Janeiro (Epidemiology of injuries in young soccer athletes in the U-17 and 20 categories of a professional soccer club in Rio de. Retos, 39, 429–433. https://doi.org/10.47197/retos.v0i39.79667

Número

Sección

Artículos de carácter científico: trabajos de investigaciones básicas y/o aplicadas

Artículos más leídos del mismo autor/a