Adaptação, Validação e Avaliação da Invariância de escalas de medida intrapessoal relacionadas com a atividade física para o contexto escolar português

Bebiana Sabino, Maria João Almeida, António Manuel Fonseca

Resumen


O objetivo deste estudo foi examinar a fiabilidade, a validade fatorial e a invariância de medida de duas escalas intrapessoais – autoeficácia e prazer/satisfação na prática de atividade física, em crianças e adolescentes portuguesas. A amostra ficou constituída por 499 crianças e adolescentes (280 rapazes e 219 raparigas) com idades compreendidas entre os novc e os 16 anos. Os resultados indicaram uma boa consistência interna para ambas as escalas. A análise fatorial confirmatória assegurou a estrutura fatorial unidimensional para cada escala. A análise multigrupos constatou a invariância de medida da escala de autoeficácia e prazer/satisfação, entre género e idade. Em suma, a versão portuguesa das escalas demonstraram fiabilidade e validade, o que indica que constituem medidas válidas para avaliar a autoeficácia e o prazer/satisfação de crianças e adolescentes na prática de atividade física. Estas medidas podem ser utilizadas para avaliar os correlatos psicossociais da atividade física em crianças e adolescentes, bem como estão aptas para comparar géneros e idades. Futuras investigações devem examinar a medida de invariância longitudinal. 


Texto completo:

PDF (Português)

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.